quarta-feira, 30 de julho de 2014

Retrospectiva das ultimas décadas...

TEXTO EXTRAÍDO POR AI NA INTERNET...

Fernando Henrique, Lula e Dilma exerceram mandatos presidenciais distintos

FHC fez um governo de estabilização e o PT, com Lula e Dilma, deveria fazer um governo de investimentos, mas…

Fernando Henrique Cardoso do PSDB fez um governo de estabilização e de guerra para recuperar um país estagnado, sem reservas cambiais, quebrado e hiperinflacionário, após o fracasso de vários planos econômicos: Plano Cruzado I e II-1986, Plano Bresser-1987, Plano Verão-1989 e Plano Collor-1990.

Mesmo contra a oposição ferrenha do PT, Fernando Henrique lançou e administrou o Plano Real em 1993, quando ministro da fazenda de Itamar Franco e depois como Presidente do Brasil de 1994 a 2001, e derrubou um processo de hiperinflação que beirava 80% ao mês e que perdurava desde 1980.

O Governo de Fernando Henrique Cardoso foi um marco no futuro sustentável do Brasil, sem comparações com qualquer outro governo e uma recuperação econômica de exemplo para o mundo: recuperou a economia (plantou), vendeu estatais ineficientes que serviam de cabides de emprego e moeda política, reduziu ministérios, modernizou o país, fortaleceu instituições e firmou bases para um crescimento sustentável, apesar de diversas crises cambiais e bancárias nos países emergentes que devastaram economias no período – quebra do México (1994), crise asiática (1997), calote e crise da Rússia (1998), crise da Argentina (2001) – obrigando os governos a recorrerem aos organismos de credito (FMI) e recompor as reservas cambiais para atravessar estes momentos de falta de liquidez mundial, que inibiram o crescimento econômico global e retardaram o crescimento nacional.

Fernando Henrique fez um governo de guerra, estabilização e reestruturação da economia brasileira.

O governo Lula apenas colheu as bases firmadas por Fernando Henrique Cardoso, sustentado por uma economia mundial recuperada das crises anteriores e em franco crescimento e, ainda, pelo preço das commodities em alta que dispararam no mercado mundial (a principal pauta de exportação do Brasil está no agronegócio), que geraram, por si só, sem intervenção do Lula, um formidável superávit nas contas externas, que possibilitaram ao Brasil acumular reservas cambiais, atualmente em 368 bilhões de dólares, formando um colchão de moeda forte contra outras crises e, inclusive, pagar a dívida com o FMI em 2008.

A economia mundial alavancou o crescimento do Brasil, sem qualquer intervenção de Lula.

Assim bastava a Lula e a Dilma, em doze anos de mandato, investir pesado esse excedente econômico, um momento único na história brasileira, uma janela para o primeiro mundo, no desenvolvimento do Brasil, aplicando em infraestrutura, saúde, educação, segurança, benefícios sociais etc, que sustentariam nosso desenvolvimento e crescimento econômico por décadas.

Mas tudo foi em vão.

A era perdida Lulodilmopetista só investiu no Bolsa Família e em obras nunca concluídas (como a transposição do Rio São Francisco, que consumiu mais de 8 bilhões de reais e está abandonada) ou desnecessárias (a Copa do Mundo levou 35 bilhões de reais e as Olimpíadas outros 40 bilhões), na criação de mais ministérios (39 ministérios ineficientes e gastadores contra 22 de FHC), aumento exagerado da carga tributária para manter um Estado gigantesco, excessiva intervenção do Estado na economia, dispendendo recursos públicos para a corrupção e gastos desnecessários ou inúteis que não alimentaram a produção e o crescimento sustentável, além de endividar o pais com mais de 2,3 trilhões de reais e ser obrigado a vender o patrimônio nacional, como o Campo de Libra da Petrobrás, maior participação estrangeira no Banco Brasil e endividar estatais (a Petrobras deve mais de 270 bilhões de reais – que serão pagos com um mega aumento dos combustíveis ou pelo tesouro público, o povo em ambos os casos), comprometimento dos investimentos de bancos fomentadores da economia como Caixa, Banco do Brasil e BNDES, que virou uma espécie de “Bolsa Empresário”, e o pior dos males: inflação descontrolada nos preços livres e congelada artificialmente nos preços controlados, causando fortes desequilíbrios financeiros, principalmente no setor energético.

Ou seja, o Brasil perdeu, nas mãos do PT, uma década e comprometeu outras décadas com a deterioração e falência do sistema politico, econômico, social e institucional.

Fernando Henrique fez um governo de estabilização e o PT, com Lula e Dilma, deveria fazer um governo de investimentos.

Qualquer partido que governe o Brasil em 2015 será obrigado a fazer duros ajustes de rumos, assim como fez FHC em 1993, quando o país estava quebrado, falido e endividado.

A economia é cruel com gastadores irresponsáveis e incompetentes.

Não temos chance de errar outra vez.

FORA PT. Fora Dilma. Fora Lula

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Matriz Energética Brasileira

Esse tema é a base para todo o desenvolvimento e sustentação de uma grande nação, pois com uma economia imensa e uma gigantesca população que só tende a crescer, a demanda por energia será sempre maior.

Qual é nossa maior matriz energética...São as hidroelétricas, mas elas estão sempre a merce do clima, porque o pais não investe em outras, que tem o mesmo padrão de qualidade e impacto no meio ambiente quase nulo, no meio ponto de vista porque não tem visão de futuro.

E também porque não é viável para quem quer continuar no poder, por mais que seja estratégico a ponto de ser peça chave em uma disputa militar e em uma eventual crescimento econômico repentino e expressivo, esse tipo de investimento não dá voto.

Ninguém vai falar, vou votar nele porque ele diversificou a matriz energética e ampliou a importância do pais no cenário energético mundial, o interesse desses últimos governos foram apenas de darem lucros para os donos de usinas termoelétricas e produtores de cana.

Temos inúmeros rios que poderia ser a base para uma energia renovável, temos vento de sobra nas praias e até nos campos, temos sol em abundancia no nordeste e em muito outros locais do pais como Cuiabá e Goias.

Porque ainda dependermos do petróleo dos países da OPEP, indo mais além porque em um pais gigantesco e que tem a maior produção de cana de açúcar, ainda temos que pagar tão caro no etanol, porque tanto imposto na gasolina ele não é nossa, pura mentira isso pra mim é incompetência e burrice dos governantes.

Recursos Naturais Inexplorada, Dinheiro Mal Gasto, Enorme Potencial Energético, Realmente Um Gigante Pedindo Esmola.

Siga @viniciusomito e vamos conversar mais sobre Brasil...

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Transporte

Essa será um tipo de serie nesse blog falaremos de setores estratégicos que ao meu ver está sendo muito mal utilizados pelos governantes e sendo deixado esquecido servindo apenas para campanhas politicas falarei minha opinião sobre o que mais diretamente afeta-nos o TRANSPORTE.

O direito de ir e vir é primordial em uma sociedade democrático, mas se o individuo pode fazer isso e não tem condições, ou os meios de faze-lo não estão acessíveis ou no caso não tem condições favoráveis, em um pais continental como o nosso essa questão é quase fundamental para o crescimento econômico e também o social.

Temos 3 vias para se locomover, mas o que vemos pela mídia a fora é apenas uma, a que esse pais atrasado é usada por todos sem exceção, o Terrestre e mais especificadamente as Estradas, e como esta a malha asfáltica nesse imenso Brasil?

Não é de hoje que vemos nos telejornais que temos estradas com má sinalização, poucos trechos duplicados, repleta de buracos, com curvas e em geral o traçado mal projetado, e vendo pelo tamanho do pais, ainda temos muito pouco estrada para escoar pessoas e produtos.

Falando da parte aérea, claro que não tenho propriedade para falar de nem uma dessas, mas essa em especial não tenho nada de nada, mesmo assim vejo o jornal e logo sei o que pode ser melhorado, a pouco tempo ocorreu o apagão aéreo que por si só, já é um sinal de fragilidade.

Fora que temos aeroportos em grandes cidades, mais o pais não é apenas o eixo Rio-São Paulo, temos grandes estados que não tem infraestrutura para deslocamento nessa areá, também mesmo os melhores aeroportos do Brasil, perdem em tudo quando comparados aos dos outros países em desenvolvimento.

O ultimo meio de transporte é o mais desperdiçado e também o que tem o maior potencial turístico, simplesmente pelo fato de cortar o Brasil de ponta a ponta, nos revelar um pais tropical, de natureza exuberante e riquíssima, porque não usar para o deslocamento de massas.

Moro no Paraná, que é um estado que ao meu ver é até bem desenvolvido para os padrões brasileiros, mas não consigo conceber que não usemos as ferrovias para o escoamento da produção, pelo menos uma vez a cada ano vemos no jornal a fila de caminhões no Porto de Paranaguá um dos maiores do País.

Mesmo sendo o principal meio de transporte para fora do país, os portos estão sucateados e esquecidos, com essa imensa costa temos apenas uns dez portos com capacidade internacional ou nem isso, só ficamos sabendo de Paranaguá, Santos e outro do Rio Grande do Sul, acorda Brasil sem investimento não tem crescimento.


COMENTE AI DEIXA DE SER PREGUIÇOSO...KKK...